PORTO DO PECÉM TERÁ SERÁ CAPACIDADE OPERACIONAL AMPLIADA COM QUATRO NOVOS EQUIPAMENTOS

As operações contam agora com mais agilidade e produtividade viabilizadas por quatro novos equipamentos

As operações de embarque e desembarque de contêineres no Complexo Portuário e Industrial do Pecém (CIPP), na Região Metropolitana de Fortaleza, contam agora com mais agilidade e produtividade viabilizadas por quatro novos equipamentos: três 1e-RTGs, guindastes para operação de contêineres em pátio e o superguindaste STS para operação de contêineres em navios.

A visita da chefe do Executivo Estadual foi acompanhada pelo secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior; pelo presidente do Complexo do Pecém, Danilo Serpa; e demais executivos e colaboradores.

Os quatro equipamentos chegaram ao Ceará no navio Zhen Hua 16, no último sábado, 6. A embarcação partiu do Porto de Xangai, na China, e navegou por 56 dias até atracar no Porto do Pecém. O investimento feito na aquisição foi de aproximadamente R$ 150 milhões pela APM Terminals, uma das prestadoras de serviço operacional (PSO) do Porto do Pecém.

Os três e-RTGs já foram descarregados e são os primeiros desse tipo a operar no Ceará. Com eles, o manuseio de contêineres em pátio, que era feito exclusivamente por empilhadeiras do tipo reach-stacker, será parcialmente substituído pelos novos guindastes.

A operação dos e-RTGs vai aperfeiçoar o acesso aos contêineres posicionados no pátio de armazenagem do TMUT do Porto do Pecém, pois permitirá a movimentação e o empilhamento de contêineres para embarque e desembarque. Além disso, os modelos adquiridos para o Pecém são eletrificados e não utilizam diesel como combustível.

Já o novo superguindaste do tipo STS (Ship to Shore), também conhecido como portêiner, será descarregado ainda nesta semana. O equipamento é utilizado para o embarque e desembarque rápido de contêineres nos navios.

O STS pesa 1630 toneladas e mede 89 metros de altura, o equivalente a um prédio de 29 andares. Isso favorece maior ganho na sua velocidade e segurança, por conta dos seus tipos de movimentos que geram mais estabilidade na operação. Com a nova aquisição, o Pecém dispõe de três STS na operação de contêineres.

Em 2021, o terminal portuário cearense somou 410.557 TEUs (unidade referente a um contêiner de 20 pés) movimentados. Um crescimento de 8,7% em relação à movimentação em 2020, quando 377.726 TEUs passaram pelo Porto do Pecém.

Atualmente, o embarque e desembarque de contêineres é responsável por aproximadamente ¼ de toda a movimentação de cargas do Porto do Pecém. No ano passado, 5.389.230 toneladas de cargas conteinerizadas foram movimentadas no porto cearense.

Deixar uma resposta

PortugueseEnglish